sábado, 13 de agosto de 2016

Quer a felicidade? Pergunte-me como

A falta não é algo para ser preenchido (ao contrário do que permanentemente nos querem fazer crer). Já dizia Lao Tse 500 AC: "Trinta raios convergem ao centro da roda: / nesse vazio está a utilidade da carroça. / Escava-se a argila para modelar vasos: / a utilidade dos vasos está no seu nada. / Abrem-se portas e janelas para que haja um quarto: / a utilidade do quarto está no seu nada. / Por isso o que existe serve para ser possuído / e o que não existe, para ser útil" (Tao te king, verso 11). Essa passagem não é um elogio ao utilitarismo, mas a percepção de que o criativo está profundamente ligado ao vazio (vazio que não é ausência, mas pura potência).

Na contramão dessa ideia, milhares de profissionais ao redor do mundo tentam vender seus serviços apelando justamente para a pretensa "falta" que todos vivenciamos. Você está se sentindo angustiado? Incompleto? É porque não preencheu devidamente sua vida e seu vazio existencial; filie-se hoje mesmo ao nosso programa e em apenas dez vídeo-aulas torne-se uma pessoa completamente diferente: feliz, completa, segura, realizada – pronta para conquistar a fama, a riqueza e o poder (se você ainda não é rico, famoso e poderoso, a CULPA é sua: afinal, você pode se tornar o que quiser quando quiser; se ainda não se tornou "o máximo" é porque está preso a padrões de pensamento e de ação que fazem de você "um mínimo"). Tal culpa é também metafísica, pois mesclou-se ao apelo material um apelo espiritual – sim, essa busca incessante é denominada "espiritual"; uma vez "espiritualizado", você terá sucesso material e financeiro (as teologias da prosperidade). Uma eventual saída ou desistência da esteira de produção seria afrontar o próprio Criador, e Ele está contando com você. NÓS estamos contando com você, não nos decepcione.  Mas fique tranquilo, estamos aqui para ajudá-lo. Por apenas trinta dólares mensais. Subscribe.

A vida como projeto/construção/programa: malhe, estude, aprenda, corra, seja/fique lindo(a), economize, compre, viaje, faça acontecer, não pare (sem sacrifícios não há recompensa, e você não quer ser um perdedor, quer?). Agora sua agenda está toda ocupada, você virou uma pessoa comprometida em se tornar alguém melhor, e em função disso sua vida é a de uma pessoa extremamente atarefada. Isso lhe causa crises de ansiedade? Não se preocupe: temos vários cursos ensinando a lidar com ansiedade e depressão (e de brinde, você ainda recebe inteiramente grátis o curso "Orgasmos múltiplos todos os dias até os cem anos de idade").

Raramente usamos a solução mais básica, que seria simplesmente desligar o sistema (shutdown), tirar da tomada; acreditar que não nos falta nada, que somos o que somos – não perfeitos, não completos, não felizes, mas isso que somos. Os vendedores de programas existenciais (que antigamente vendiam enciclopédias, depois viraram operadores de telemarketing e hoje vendem sucesso e realização pessoal) nos dizem então que isso é conformismo derrotista. Não é verdade: isso é liberdade.

Alberto Heller


7 comentários:

  1. Ler esse texto, justamente no dia de hoje, não foi por acaso. Obrigada por me ajudar sem saber.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal! Muito bom quando essas sincronicidades acontecem. Abraço!

      Excluir
  2. Bacana seu texto. A realização, não tenho duvidas, só se atinge quando conseguimos ser simplesmente o que somos é não o que esperam de nós. A luta é diária. Abç

    ResponderExcluir
  3. Liberdade de, simplesmente, sermos o que somos! Que tarefa dificílima, porque os protocolos são muitos e , como você já disse em textos passados, fazemos parte de um grupo, ou de vários, e se os papéis não são cumpridos, somos excluídos. Aí vem o dilema de pagar o menor ou o maior preço daquilo que se quer viver, passar ou vivenciar! Parabéns pelo ótimo texto e por ter me dado o direito de perceber que a utilidade do vaso e das taças de cristal de minha loja está "no seu nada"! Achei esplêndida essa percepção. Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre a questão do nada, caso te interesse, há três ensaios de Heidegger maravilhosos (todos eles no livro Ensaios e Conferências) que indico muito: "Construir, habitar, pensar" / "A coisa" / "Poeticamente o homem habita". Abraço!!!

      Excluir